Café

Tomar café não é só sorver cafeína líquida. Pelo menos não para mim. Eu gosto de sentar, observar, ouvir, refletir, sonhar, planejar, devanear, desenhar e conversar.
Quando comecei a trabalhar na Unicamp, o Centro de Línguas era ao lado do Instituto de Estudos da Linguagem , do outro lado da rua do Instituto de Filosofia e Ciências Humanas e havia uma cantina onde tomar café era poder fazer tudo o que mencionei antes. O conversar, em especial, era muito bacana. Uma conversa tomando café numa cantina ao ar livre e rodeada por eucaliptos podia ser tão significativa quanto uma aula.
Mas a Universidade hoje é um grande colegial, nos moldes daquele frequentado por quem a comanda. Os edifícios são construídos pensando nas aulas (expositivas) e os espaços de uso comum, para alimentação do corpo ou da alma quase não existem. E não são verdes o suficiente, vai ver que é porque o verde dá trabalho.
Os usuários são vistos como usuários passageiros e com somente uma necessidade: aulas em salas de aula e aulas em laboratórios.
Embora o logotipo da Unicamp seja redondo, essa universidade é muito quadrada.
E meu medo é que no futuro o café seja só uma bebida.

IMG_1931.JPG

Esse post foi publicado em nonada. Bookmark o link permanente.

Uma resposta para Café

  1. Ana van Gilst disse:

    Amei!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s